Alguém já assistiu “La fille sur le pont” (“A garota da ponte”)? Até pouco tempo nem sabia da existência desse filme, mas veio de brinde junto com “2 days in Paris”. Nem vou falar sobre o filme (super recomendo, aliás), só queria dizer que no momento me sinto exatamente como a personagem da Vanessa Paradis (a mulher cadáver do Johnny Depp) no começo do filme: azarada. sabe quando tudo começa a dar errado e não pára mais? pois é!

1° não consegui ir no show do interpol. foi uma tragédia. pode rir, mas eu chorei bastante por causa disso. 2° um dia desses falei brincando que queria ser atropelada e no mesmo dia quase fui mesmo, HAHA. sustão dos infernos. cuidado com o que deseja, né? e seria morte certa porque era uma hillux gigante (o sinal abriu bem na hora que eu estava atravessando e aqui o povo é bem apressadinho). não tem o toque de Midas?  ultimamente comigo é o toque de Merdas, haha (desculpa a piada-trocadilho infâme, mas mesmo na desgraça eu tenho dessas). olha, de boa, se alguém souber de uma mãe de santo jóia, um centro espírita bom mesmo, um pastor da igreja universal porreta, exorcista tipo o Padre Merrin, deixa o telefone-fax-e-mail-fax-whatever nos comentários. vou entrar em contato. a coisa tá horrorosa, o exu estacionou e não quer mais sair.

ah, deletei meu twitter. próximo passo: orkut. espero que eu consiga! haha

Frases do filme que me identifiquei ( olha que triste…)

“Porque sempre é assim comigo. As coisas começam mal e terminam pior”

“Nunca tive um bom número. Tudo o que toco fica amargo”

“Má sorte não se explica. É como um ouvido para música. Ou se tem ou não”.

tem coisa mais chata do que gente pessimista e reclamona? cruzes! março – mês trevas. espero que passe logo e eu venha contar coisas boas.

Anúncios